• Laila Dias

Por que será que a gente não larga o crochê?


Não sei para você, mas quando começo a tecer eu não paro mais. Poderia te dizer todos os benefícios do crochê, ele é uma atividade que estimula a coordenação motora fina e grossa, estimula também várias funções cognitivas como a atenção, a resolução de problemas, as questões de sequenciamento e por aí vai. A verdade é que não é só isso que me prende a horas a fio na agulha, são as sensações que essa atividade me traz.


E não para por aí, podemos tecer conversando, vendo TV e até mesmo vigiando o filho ou o neto. A atividade é tipicamente feminina, e, como mulheres somos por natureza capazes de ser multitarefa. Mas, é quando cada pedacinho de linha se entrelaça na agulha virando um ponto e minha mente se atenta somente a isso, é aí que a atividade se torna mais gostosa. É um mergulho no nada, ou melhor, no presente e é como se só existisse aquele momento. Minha mente se esvazia, já se vão as preocupações, os medos, desatinos e a ansiedade, o que é ansiedade quando estou com a agulha e linha nas mãos? Corpo e mente viram um, que me desculpem a ousadia, é uma meditação em forma de crochê.


Vivo momento a momento, ponto a ponto e assim vai se formando uma peça, e ao termina-la eu a olho incrédula, foi eu que fiz?! Passo da interrogação para afirmação e me maravilho com meu potencial criador. Com o meu simples crochê, com o meu simples fazer, transformo não apenas linhas, eu transformo o meu ser. Me torno uma pessoa melhor, mais serena, menos preocupada, menos ansiosa e mais capaz de viver o presente e de estar presente.


E você? Gosta de crochê? Tem alguma atividade que te faz sentir assim? Compartilha com a gente nos comentários!


Laila Dias é Terapeuta Ocupacional e Especialista em Saúde da Família/APS

#crochê #TerceiraIdade #Envelhecer #terapiaocupacional #atividade

2 visualizações

© 2016-2020 por Sal - Estúdio Criativo